Fash Rev Brasil e Guia Fler promovem conversa sobre guarda-roupa consciente

A perspectiva mais sustentável sobre a moda vem ganhando profissionais adeptos e, principalmente, interessados em discutir o tema. Um reflexo disso foi o animado debate que rolou na Barra da Tijuca nessa quarta-feira (27), organizado pelo Guia Fler Moda e o Fashion Revolution Brasil, no espaço cultural da Kult Kolector.

Cerca de vinte pessoas se juntaram para discutir com os convidados da mesa sobre #guardaroupaconsciente. Além da representante do Fler Moda, Manoela Castro, e de Patricia Sant’ana, do Fashion Revolution Brasil, estavam o stylist Eduardo Roly, a jornalista Melissa Jannuzzi e a estilista Raquel Wymann.

pati
Raquel, Patricia e Manoela, durante a conversa. Foto: Divulgação Fler Moda

Muitos tópicos bacanas foram levantados, tocando desde a necessidade de transformação nas etapas de produção e consumo de moda; a reutilização do que já temos ou está por aí; peças-coringa ideais para um armário mais eficiente; até as tendências de tecnologia e inovação que estão aparecendo mundo afora.

fler 2
O público participou ativamente das trocas de ideia. Foto: Divulgação Fler Moda

Pensamentos e visões se mesclaram, produzindo um super brainstorm. Será a última fronteira da sustentabilidade pararmos as máquinas e não produzirmos mais nada? Como estamos longe dessa utopia, é importante “mantermos o pensamento questionador” e “pensarmos se existem soluções melhores para as soluções já existentes – como opções ao algodão orgânico, por exemplo, que consome muita água”, comentou a Pati Sant’ana.

A estilista Raquel Wymann, relatou sua busca por tecidos mais sustentáveis e esbarrou em dificuldades que lhe mostraram como é complicado alcançar o conceito ao 100%. “Fui conhecer o processo produtivo da seda orgânica, mas quem produz o tecido é um bichinho que dificilmente se tornará uma borboleta”, refletiu. Ela desenvolve peças com modelagens híbridas (que possuem diferentes funções) e acredita no ideal de tornarmos “o lixo, um luxo”.

plaquinha
Plaquinha do movimento Fashion Revolution presente no espaço. Foto: Divulgação Fler Moda

Um dos pontos que mais chamam a atenção da Pati Sant’anna nesse assunto todo, é a certa elitização do segmento do consumo consciente na moda:

“O desejo de se ter um determinado tipo de produto se deu muito, ao longo da história, por um sentimento de status. As redes de fast fashion, de certa forma, possibilitaram o acesso a pessoas de baixa renda e pulverizaram ainda mais esse sentimento. Atualmente, esse tipo de status tem se transformado, dando lugar ao status de ser ecologicamente consciente. Mas como dizer agora para um consumidor de baixa renda que ele só deve comprar produtos sustentáveis, mesmo que não tenha condições para adquirir? É um assunto delicado e complexo, e abrange diversas questões sociais.”

1519a
Fachada da Kult Kolector

Pati comentou também sobre a parceria entre a Fashion Revolution e o Fler Moda: “Nosso desejo é aumentar a consciência das pessoas sobre nosso papel enquanto consumidores, profissionais, etc, indicando formas alternativas de consumir, criar e se relacionar com a moda. Além dos bate papos, há um espaço informativo sobre o movimento Fashion Revolution dentro da ação do guarda-roupa consciente Fler, que acontecerá durante três meses na redação colaborativa da COMM.”

O Fler Moda é um guia online sobre slow fashion que surgiu em março e tem a premissa de falar sobre moda durável, versátil, atemporal e produzida no Brasil – com referência nas boas práticas que celebridades e pessoas da mídia estão adotando. Outro objetivo da iniciativa é que o conteúdo seja produzido colaborativamente. O guia faz parte da plataforma COMM, criada pela jornalista e escritora Manoela Castro. Ela contou um pouco sobre a ideia:

“Quando resolvi criar uma plataforma sobre estilo de vida sustentável, a COMM, meu desejo era de aprender. Por mais que eu já tivesse alguns hábitos, eu queria muito mais. Resolvi que iria compartilhar essas informações. Enquanto fazia as primeiras matérias, já publicadas no portal, pensei que assim como eu tinha dúvidas, outras pessoas também, e poderiam ser diferentes, ou se somar às minhas.”

Untitled2
A atriz Nivea Stelman participou da ação da Fler por um guarda-roupa mais eficiente. Divulgação: Instagram Fler Moda

De volta à conversa, o tema das trocas de roupas e armários compartilhados também foi trazido, e a “lenda urbana” sobre estarmos em contato com a energia – possivelmente negativa – de outra pessoa, pareceu não ter adeptos por ali… “Pior que isso é usar uma roupa com a energia de trabalho escravo”, disse Manoela. Alguém do público comentou que: “trocar peças com amigos é lembrar da pessoa e compartilhar um pouco da história dela”. E o pessoal todo sorriu.

Um novo debate está sendo planejado para depois das Olimpíadas. Siga o Roupartilhei nas mídias sociais e fique por dentro 🙂

*****

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s