¨Cofashioning¨ chegou para abalar

Alguém duvida que o hábito do consumo de moda, assim como o fator “posse”, serão cada vez mais desconstruídos pelas propostas endorfinadas da economia compartilhada?

E – animação total – esse modelo já está sendo aplicado a roupas e acessórios aqui no Brasil, lá na House of Bubbles; sobradinho que  faz parte do pool de espaços compartilhados House of All, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

eu e dani
Eu e Dani Ribeiro, uma das sócias da Roupateca, espaço dentro da House of Bubbles que abriga um “armário-compartilhado”. Foto: Maíra Salazar.

A House of Bubbles é composta por dois ambientes; no primeiro andar há uma lavanderia “self-service”, e no segundo a chamada Roupateca. Eu estive lá e quem me explicou tudo a respeito foi a Daniela Ribeiro, sócia da Roupateca junto com a Nathalia Roberto e o Wolfe Menke – que também é responsável pelas duas outras “Houses” vizinhas ali.

O que eles vêm chamando de cofashioning – derivado do mais conhecido coworking – é o seguinte: as roupas, sapatos e acessórios que estão nas araras da Roupateca são “assináveis”, ou seja, por meio de três opções de plano mensal, você pode retirar um determinado número de peças por vez, usar, lavar – ali embaixo mesmo se quiser, oras – e devolver. E assim, sucessivamente.

Saiba mais sobre as assinaturas e o que rolou em nossa conversa aqui:

A curadoria das roupas é um diferencial em si mesmo, pois do casual ao mais arrumado, só tem peça transada! Os atuais 400 itens disponíveis vêm de cantos diferentes: brechós nacionais e do exterior, marcas em início de carreira e acervos de amigos e clientes doadores.

Eventuais danos nas peças são cobrados a parte – todos os itens são valorados e os danos reversíveis custarão ao assinante o equivalente a 25% do valor da peça, e para danos irreversíveis, 100% do valor. A Roupateca mesmo se responsabiliza pelo reparo.

varanda da roupateca
Eu posando na varanda da Roupateca, com um cropped vintage do acervo e cara de “já sou assinante”. Bem, se o espaço fosse no Rio talvez fosse verdade. Foto: Bernardo Mota

A Dani também me contou que com o fim do período de testes em fevereiro, e mesmo com a formação de uma fila de espera para a entrada de um novo grupo, ainda há vagas para o mês de março. Os interessados devem escrever para:  roupateca@houseofbubbles.com.br

No Instagram eles têm usado as hashtags #assinelooks e #éseutambém. Fofo, né?

Meu palpite é que esse modelo vai engrenar total, e jájá os assuntos do pessoal fashionista mais engajado vão girar em torno do combo: nome daquele bazar cheio de peças de segunda-mão, a técnica x para customizar uma peça em casa ou organizar um armário-cápsula, e…o estilo do acervo da biblioteca de roupas do qual é assinante. Façam suas apostas. 👍

mila

Crédito da foto de capa: I Hate Flash

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s